Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019 - Ano 6

Bulling nos tempos modernos

13 outubro, 2018

Bulling é uma palavra inglesa que significa “colocar apelidos, ofender, discriminar, agredir, intimidar, excluir, humilhar, perseguir, ignorar, sacanear, ferir, amedrontar”. Concentra-se na combinação entre intimidação e humilhação de uma criança ou de um adolescente, em geral de temperamento tímido e que não exerce sobre os colegas de turma algum domínio. É uma forma de abuso psicológico, físico e social.

No passado, as brincadeiras entre os colegas de colégio marcavam afetivamente nossas vidas. Isso eu vivi quando estudante do Colégio Valério Gomes, onde vivíamos na maior harmonia. Cada um tinha um apelido de acordo com suas características físicas ou maneira de viver. Um tinha o apelido de “Gaguinho”, porque era muito alto e falava devagar demais. A turma dizia que ele era lento que só explicação de gago. O outro tinha o apelido de “Biquinho”, porque seu nariz era saliente que só bico de chaleira. Tudo isso dentro de um clima de profunda amizade e bem-querer. Hoje não, é o sadismo, a falta de educação, o espírito destrutivo que, gente de lares infelizes, cria jovens psicopatas que adoram praticar o mal, insultando, maltratando, humilhando. É criando problemas de toda sorte para os próprios colegas e os pais.

As pesquisas têm mostrado que é cada vez maior o número de vítimas do bulling nas escolas brasileiras. A Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e a Adolescência, solicitou ao IBGE que fizesse uma pesquisa nesse sentido nos colégios do Rio de Janeiro e os dados colhidos vieram mostrar que 50% dos alunos já tinham sido insultados algumas vezes. Portanto, é um problema cada vez mais atual e desafiante.

Cabe aos colégios chamar a atenção dos pais para o comportamento dos seus filhos e preveni-los, caso persistam com essa atitude de vandalismos sobre os seres humanos. Os estudos recentes vêm mostrando que esse tipo de violência está associado ao aparecimento de problemas psicológicos e sociais, e esses meninos envolvidos com casos de bulling apresentam baixa qualidade de vida e baixos índices de satisfação com a educação que recebem em seus lares. Eles crescem sem um sentido de vida.

Há poucos dias, ouvi uma história de um jovem de 13 anos, e supertímido, que chegou a ser surrado por quatro colegas de aula e entrou em depressão. Meus caros jovens adolescentes que praticam esse tipo de comportamento: lembrem-se de que fazer o melhor sempre aparece em seu caminho. Pensem nisso! Quem não planta jardins por dentro não planta jardins por fora e mais tarde não irá passear por ele.