Quinta-Feira, 16 de Agosto de 2018 - Ano 6

Agroindustria de aipim é criada em Ituporanga

16 maio, 2018
Agroindustria de aipim é criada em Ituporanga

Trazer a teoria para prática e empreender. Assim que a agricultora Cilene Staloch, 45 anos, criou a primeira agroindústria de aipim de agricultura familiar de Ituporanga. Cilene foi uma das mulheres que participou do curso Mulheres Empreendedoras: a arte da inovação, que é promovido pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (FETAESC).

O curso tem o intuito de incentivar as trabalhadoras a investirem em produções e propriedades rurais de Santa Catarina. Assim que a agricultora, que é moradora do Faxinal da Vila Nova, concluiu o curso e demonstrou interesse em investir no negócio, a presidente do Sindicato de Petrolândia, Rosana Starosky, fez uma ponte entre a família agricultora e a Epagri de Ituporanga, que auxiliou em todo o processo burocrático para a formalização da agroindústria.

A propriedade onde a agroindústria foi implantada conta com seis hectares de plantação de mandioca. A hortaliça é plantada, cuidada e colhida pela agricultora e pelos dois filhos jovens, de 20 e 17 anos. Depois de colher, a família agricultora lava, descasca, lava novamente antes de passar pela centrífuga, depois congela e, em seguida, o aipim é embalado, proporcionando um produto de qualidade aos consumidores.

Com o envolvimento dos filhos em todo o processo, a agricultora que agora também é empreendedora acredita na permanecia deles no campo. “Eles estão auxiliando em tudo, é uma nova visão do campo pra mim e para eles e acredito que isso pode fazer com que eles permaneçam no campo”, comenta.

Nos primeiros três meses de produção, Cilene vendeu 2,4 mil quilos de aipim, por R$ 4 o quilo sem fiapo, em mercados de Ituporanga e Petrolândia, município vizinho. A agricultora também foi inserida no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o alimento será comercializado em outros dois municípios catarinenses.

Cilene também contou com o apoio da engenheira agrônoma da Epagri de Ituporanga Katiucia Visentainer, que ajudou no processo de produção, construção do espaço físico, alvará, selo, etiqueta com tabela nutricional, rótulo e mercado.

Para a trabalhadora rural Cilene Staloch, foi um sonho que se tornou realidade. “Temos que batalhar, correr atrás e, com a ajuda da Fetaesc, o meu sonho saiu do papel e hoje é realidade. Foi muito difícil, mas é muito gratificante. Estou muito feliz e quero aumentar a produção em breve”, conta Cilene.

Para a coordenadora Estadual de Mulheres da Fetesc, Agnes Weiwanko, que coordena o programa Mulheres Empreendedoras: a arte da inovação é uma honra ver a conquista de uma trabalhadora rural depois de tanto esforço e trabalho. “O objetivo do curso Mulheres Empreendedoras é despertar o interesse e motivá-las a investirem em suas propriedades rurais. Estou muito feliz e orgulhosa. Parabéns, Cilene”, parabeniza Agnes Weiwanko.

O presidente da Fetaesc, Walter Dresch, parabeniza a agricultora e os filhos pela iniciativa e ressalta a importância do trabalho realizado em conjunto com todos dos membros da família. “A Fetaesc está de portas abertas para auxiliar os trabalhadores rurais que têm a intenção de investir na agricultura familiar, assim como a Cilene fez em Ituporanga. Santa Catarina precisa e merece que novas agroindústrias de agricultura familiar sejam criadas”, salienta Dresch.

O curso Mulheres Empreendedoras: a arte da inovação, é realizado por meio de módulos que explicam os passos para a transformação de uma ideia em um negócio rentável para a família. Em todo o estado são cerca de 100 mulheres que já foram capacitadas e a expectativa de acordo com a coordenadora é seguir com as capacitações e formar novos grupos.

thumbnail_CURSO MULHERES

thumbnail_FOTO credito Viviana Ramos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AUTHENTICA COMUNICAÇÃO INTEGRADA
Adriane Rengel – Jornalista