Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019 - Ano 6

CBF garante Vadão no comando da Seleção

28 agosto, 2016

Vadão e restante da comissão técnica estão mantidos ao menos até o fim deste ano
Mesmo tendo saído das Olimpíadas do Rio 2016 sem medalha, a Seleção Brasileira Feminina de Futebol conseguiu conquistar a torcida. O sucesso, porém, não ficou apenas por conta dos fãs que apoiaram as meninas do Brasil na busca pelo ouro inédito. Isso porque o coordenador de futebol feminino da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF), Marco Aurélio Cunha, garantiu que o trabalho do corpo técnico, comandado por Vadão, será mantido até o final deste ano e somente em 2017 que será decidido se haverá mudanças.

“Porque mudaria? Essa é a pergunta que fica. Não foi porque perdeu a prata (e o bronze) nos pênaltis, que temos um trauma, que temos que propor mudanças imediatas. Nós temos uma agenda até 2017 e vamos segui-la”, declarou o dirigente. “Não há porque abortar um trabalho bem feito”, completou.

Na Cidade Maravilhosa, a Seleção começou muito bem os Jogos, com resultados e atuações consistentes, que encantaram os torcedores. No entanto, acabou se deparando com adversárias que se fecharam na defesa com o decorrer da fase de mata-mata e não conseguiam repetir os bons desempenhos.

Nas quartas de final, de maneira muito sofrida, superou a Austrália nos pênaltis. Já na semi, diante da Suécia, que perdeu de 5 a 1 para o próprio Brasil na fase de Grupos, não teve a mesma sorte nas cobranças e acabou vendo o sonho do ouro escapar mais uma vez.

Lutando pelo bronze, as meninas do Brasil acabaram não conseguindo superar o baque da eliminação e foram vencidas tanto pelo psicológico abalado quanto pelas canadenses. Este jogo foi decidido no tempo regulamentar.

Responsável, ao lado de Vadão, tanto pelo trabalho de convocação quanto pela administração da Seleção Permanente, projeto da CBF que organiza um time fixo, com as atletas sendo bancadas pela instituição, Marco Aurélio afirmou que depois do final do ano será discutido com o Presidente Marco Polo Del Nero todo o futuro do comando da equipe verde e amarela e brincou, colocando, inclusive, o próprio cargo em cheque.

“É muito cedo para qualquer projeção. Sei que vamos continuar até o final do ano e só depois do torneio de Manaus que vamos nos reunir com o Presidente. Só depois vamos saber se sai Vadão. Se sai a comissão. Se sai Marco Aurélio (risos)”, apontou o ortopedista e ex-dirigente do São Paulo.

Ainda neste ano e com Vadão à frente do banco de reservas, a Seleção Feminina tem dois compromissos importantes: Um amistoso contra a França, no dia 19 de setembro, e o Torneio Internacional de Manaus, que começa no dia 7 de dezembro.